sábado, 14 de outubro de 2017

Comunidades palestinas da América Latina se reúnem em Manágua


Convocadas pela Confederação Palestina Latino Americana e do Caribe, COPLAC, entidade pertencente à Organização de Libertação da Palestina (OLP), as comunidades palestinas do continente se encontrarão na cidade de Manágua, na Nicarágua, entre os dias 19 e 22 de outubro de 2017. O encontro das comunidades acontece depois de vários anos de recesso, produto dos eventos que foram gerados na Palestina a partir dos acordos de Oslo.

Consultado sobre essa importante reunião, o Dr. Hanna Safieh,
Secretário Geral da instituição, declarou que "a COPLAC representa todos os palestinos na América Latina e Caribe e seus descendentes" e que "esse será seu IV Congresso, destinado a escolher nova diretoria e a reafirmar o compromisso inalienável de todos os palestinos da nossa América com a justa causa da libertação da pátria palestina”.

O evento contará com a presença do ministro das Relações Exteriores palestino, Riad Al Malki, com representantes do presidente do Estado da Palestina, Mahmoud Abbas, e será inaugurado pelo ministro das Relações Exteriores da Nicarágua, Denis Moncada.

Pelo menos 130 pessoas devem participar entre delegados e observadores que representam organizações comunitárias palestinas de 13 países, que discutirão formas de fortalecer a solidariedade latino-americana e caribenha com a causa palestina.

COPLAC-Imprensa: prensacoplac@gmail.com




Apoio da America Latina ao povo palestino e sua cuasa


...............................................................................................................................................


A imprensa repercute o IV Congresso palestino em Manágua:




































..........................................................................................................................................

COPLAC - 1984
I CONGRESSO DE COPLAC – SÃO PAULO – 1984

Veja aqui mais fotos e documentos do I Congresso: https://goo.gl/Qs7i7w 



COPLAC - 1987
II CONGRESSO DE COPLAC – LIMA – 1987

Veja aqui mais fotos e documentos do II Congresso: https://goo.gl/pyNTfb 



COPLAC - 1993
III CONGRESSO DE COPLAC – SANTIAGO – 1993

Veja aqui mais fotos e documentos do III Congresso:  https://goo.gl/TuVSGw


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

O massacre de Sabra e Chatila, Israel e os crimes contra a humanidade





POR OCASIÃO DO 35º ANIVERSÁRIO DO MASSACRE DE SABRA E CHATILA, O SECRETÁRIO DA OLP – ORGANIZAÇÃO PARA A LIBERTAÇÃO DA PALESTINA, SAEB EREKAT, DECLAROU:


“Perseguiremos os criminosos de guerra israelenses para que sejam  responsabilizados legalmente pelos crimes contra a humanidade”


O Secretário do Comitê Executivo da Organização de Libertação da Palestina, Saeb Erekat, enfatizou que o direito das vítimas do povo palestino, onde quer que estejam, não estará sujeito a estatuto do esquecimento. O Estado da Palestina vai processar os criminosos de guerra israelenses e os responsabilizará por seus crimes contra a humanidade, dure o tempo que durar.

Erekat disse em um comunicado de imprensa por ocasião do 35º aniversário do massacre de Sabra e Shatila: "A ideologia do deslocamento forçado, da limpeza étnica e da matança sistemática em que o Estado de Israel se baseou desde a sua fundação até o presente se reflete em todo processo de desarraigar, demolir e matar. Este massacre vergonhoso é um lembrete para o mundo da ausência de responsabilidade e justiça, esse massacre continua afrontando a  era dos princípios dos direitos humanos e do direito internacional, que não processou os perpetradores deste e outros massacres, mas testemunhou suas promoções que são uma vergonha contra a humanidade, incentivou-os a cometer mais massacres e os brindou com a imunidade e excepcional idade".


Ele acrescentou: "Portanto, este massacre e outros crimes diários de Israel contra o nosso povo são um incentivo para a comunidade internacional assumir suas responsabilidades políticas e legais ao levar Israel, o poder ocupante, à responsabilidade internacional, levantar sua imunidade e acabar com sua ocupação e reconhecer plenamente o Estado da Palestina nas fronteiras de 1967. Com Jerusalém como sua capital, trabalhando duro para proibir os produtos de assentamento e boicotar as empresas que se beneficiam da existência de ocupação, colonização e apartheid na Palestina ".


Fonte: Al Watan Voice (em árabe)


Tradução: Emir Mourad

.............................................................................................................................................

Matérias relacionadas:















..........................................................................................................

Para pesquisar as publicações do Blog Sanaúd-Voltaremos, desde 2008,  acesse o Arquivo na barra lateral.



Leia as últimas publicações do Blog Sanaúd-Voltaremos:















Seguidores: